O que é a Condropatia?

 

O que é:

Apesar de comumente ser confundida com a condromalácia patelar, o termo condropatia se refere à doença que acomete a cartilagem do osso anterior do joelho, o termo condropatia se refere a uma doença da cartilagem como um todo, que pode acometer desde uma pequena articulação como a dos dedos da mão até grandes articulações como o quadril. Em outras palavras: qualquer articulação do corpo pode adoecer e desenvolver condropatia. Hoje, é considerada a principal causa de dor crônica, acometendo de 70 a 80% da população mundial, segundo última estimativa e, por este motivo continua sendo objeto de estudos pelo mundo todo. Quando se inicia, a cartilagem amolece e vai perdendo sua capacidade de absorver as forças as quais é submetida, levando a sobrecarga do osso logo abaixo, também chamado de subcondral, causando dor.

Cartilagem Articular:

Trata-se de um material borrachoso que recobre os ossos e permite que um deslize sobre o outro com pouco atrito. Funciona, portanto como uma espécie de amortecedor. Composta por 4 camadas (2 zonas superficiais e 2 profundas), trata-se de um tecido avascular (que não recebe sangue) constituído basicamente de células que chamamos de condrócitos (5% do tecido cartilaginoso) e uma matriz composta predominantemente por colágeno do tipo II. A função desta matriz é reter água, conferindo à cartilagem a habilidade de sofrer deformação reversível quando comprimida, funcionando como uma mola biológica.

Causas:

* Se existe um traço genético dentro da família, a chance de várias pessoas desenvolverem a doença é relativamente grande.
* A condropatia tem prevalência entre mulheres.
* Apear de fazer parte do nosso envelhecimento, algumas pessoas têm o envelhecimento articular muito acelerado.
* O excesso de peso tende a sobrecarregar as articulações, em especial do joelho, coluna lombar e quadris
* Uma pessoa que sofreu uma ruptura de um dos ligamentos do joelho pode desenvolver instabilidade crônica (falseio), que leva a um contato anormal da cartilagem do joelho, iniciando uma condropatia.
* Fraturas graves que deixam sequelas são as mais comuns.
* A inflamação crônica de doenças como a gota e a artrite reumatoide pode levar à isso.
* Pessoas que tem a chamada patela alta, ou seja, quando a patela encontra-se em uma altura acima do normal em seu trilho (tróclea) ou o que chamamos de tróclea rasa (calha rasa) onde a patela também leva ao aumento da pressão na cartilagem e, finalmente, a báscula da patela (lateralização excessiva da patela), gerando lesões extremamente frequentes como a condropatia patelar.
* Esportes de impacto como a corrida, dança e o treino funcional estão intimamente ligados ao desenvolvimento da mesma, principalmente da patelar e ocorre quando são praticados acima do limite fisiológico da pessoa, ou seja, em excesso, sem a preparação física prévia e sem orientação de um treinador.

Ao se iniciar o processo de degeneração (morte) do tecido cartilaginoso, algumas alterações vão acontecendo com as estruturas descritas no tópico acima. Por ser considerada hoje uma doença inflamatória, na condropatia estas estruturas vão degenerando aos poucos:

A sinóvia pode inchar e produzir fluido extra, o que faz com que a articulação inche. Isso é chamado de inchaço do joelho ou popularmente como água no joelho.

A cápsula e os ligamentos engrossam lentamente e se contraem como se estivessem tentando estabilizar a articulação. Essas mudanças e em torno da articulação são em parte o resultado do processo inflamatório e em parte a tentativa do seu corpo para reparar o dano. Em muitos casos, os reparos são bem sucedidos e as mudanças dentro da articulação não causam muita dor ou, se houver dor, é leve e pode ir e vir. No entanto, em outros casos, o reparo também não funciona e a articulação fica danificada. Isso leva à instabilidade e à colocação de mais peso em outras partes da articulação, o que pode fazer com que os sintomas se tornem gradualmente piores e mais persistentes com o passar do tempo.

Sintomas:

Na maioria das vezes, é uma doença de evolução lenta e progressiva. Quando tem sua origem ligada a reumatismo como a artrite reumatoide e quando ligada há sequelas de traumas, pode progredir de forma muito rápida e incapacitante.
Em grande parte das vezes, a condropatia começa com um desconforto articular, agravado pela atividade (correr, pular, subir ou descer degraus) ou por estar sentado prolongadamente.

O tipo de sintomas vais depender da localização: condropatia patelar, com dificuldade diária de subir e descer escadas; condropatia do quadril (coxo-femoral), com dor na virilha; condropatia do tornozelo (tíbio-tarsica), com dor e rigidez no tornozelo; condropatia do ombro (glenoumeral), incapacidade de movimentos como pentear o cabelo…

Havendo progressão, a condropatia leva ao inchaço, principalmente no joelho com perda de força muscular do quadríceps (anterior da coxa). Quando isso ocorre, são comuns queixas de que o joelho está falseando, ou saindo do lugar, muitos estalos e a o que chamamos de creptação, popularmente conhecido como rangir.
Em estágios mais avançados a condropatia, aqui chamada de artrose leva à incapacitação para tarefas diárias como caminhar e subir escadas, tornando o tratamento definitivo urgente, como a inserção da prótese do joelho, por exemplo.

 

FONTE: https://adrianoleonardi.com.br/

Últimos posts por Instituto Reaction (exibir todos)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *