Logo Instituto Reaction

Artigos

Reabilitação de cirurgia de Ligamento Cruzado Anterior (LCA)

ligamento cruzado anterior

O Ligamento Cruzado Anterior (LCA) é uma estrutura localizada na porção interna do joelho, nascendo no Intercôndilo (região lateral do fêmur) e descendo até a espinha da tíbia. Esse é um dos ligamentos mais importantes para o bom funcionamento do joelho, e é continuamente alvo de diversos estudos e pesquisas.

Ele é dividido em duas porções distintas: a banda Antero-medial, que fica tensionada quando o joelho está dobrado/flexionado, e a banda Póstero-lateral, que permanece tensionada quando o joelho está esticado (estendido). Essa estrutura tem diversas funções, como:

• Impedir que o fêmur e a tíbia se movimentem excessivamente na articulação, ou que a tíbia sofra algum deslocamento.
• Auxiliar o fêmur no movimento de rotação quando o joelho é esticado;
• Promover a propriocepção, informando o cérebro e o sistema nervoso sobre o grau de flexão e o tipo de movimento executado.

Como acontece a ruptura do Ligamento Cruzado Anterior?

A ruptura do LCA pode acontecer de diversas formas, sendo muito comum entre atletas que praticam esportes de contato, como o futebol. Um bom exemplo disso é quando o jogador, com o pé apoiado, realiza um giro que resulta na torção do joelho, ou quando o ligamento é esticado demais (hiperextensão). No vôlei, essa lesão ocorre, principalmente, no movimento de aterrisagem, quando acontece uma desaceleração brusca.

Essa lesão costuma ser bastante dolorosa, e é comum escutar uma espécie de “estalido” quando ela acontece. Pouco tempo depois, o joelho apresenta um grande inchaço, e conforme o corpo esfria, a mobilidade também é comprometida, sendo difícil esticar e flexionar a articulação, e até mesmo caminhar.

A lesão resulta em um edema ósseo, um hematoma formado dentro do osso do joelho, que devido ao aumento de pressão, inicia um processo de dor. Geralmente, esse edema vem descrito no laudo médico como uma fratura subcortical.

Existem dois tipos principais de lesão do Ligamento Cruzado Anterior:

• Ruptura completa do LCA: nesse tipo de lesão, as extremidades do Ligamento Cruzado Anterior são separadas de forma completa, com um potencial de cicatrização praticamente nulo. Essa é a forma mais comum de lesão do LCA.

• Ruptura incompleta do LCA: nessa lesão, as extremidades do Ligamento Cruzado Anterior não se separam completamente, caracterizada pelo estiramento de algumas fibras da sua estrutura.

Devido à sua anatomia e o seu papel na movimentação e funcionalidade do joelho, o Ligamento Cruzado Anterior é um dos ligamentos que mais sofre lesões e rupturas. Naturalmente, o corpo tenta cicatrizar essa lesão, mas essa cicatrização geralmente não ocorre da maneira adequada, impactando na execução dos movimentos e na qualidade de vida do indivíduo, causando dor, instabilidade e dificuldade para realizar determinados movimentos e atividades.

Por esse motivo, é necessário buscar o atendimento médico sempre que uma lesão ocorrer, para que o ortopedista consiga investigar e oferecer o melhor tratamento possível para o caso.

Como é a recuperação da cirurgia?

O pós operatório da cirurgia do Ligamento Cruzado Anterior por artroscopia, é essencial para que o procedimento tenha sucesso. Geralmente, após 20 dias da cirurgia, o paciente já consegue caminhar, pedalar, ir à academia (somente atividades de baixo impacto), etc. quando é feita a reconstrução do ligamento, pode levar seis meses até a completa vascularização, e por essa razão, somente são permitidas as atividades leves e moderadas.

Na grande maioria dos casos, a cirurgia de reparação do Ligamento Cruzado Anterior obtém excelentes resultados. Quando o paciente segue todas as recomendações do pós operatório, já é possível retomar os esportes de giro após cerca de 9 a 12 meses. É muito importante que o paciente respeite os limites do seu corpo e siga todas as orientações médicas.

O repouso relativo e o uso das muletas são recomendados nas primeiras quatro semanas após o procedimento cirúrgico, e o retorno às atividades laborais deve ocorrer de forma gradual (desde que não haja carregamento de peso, muito tempo de pé, agachamentos e outros movimentos desconfortáveis).

O retorno aos esportes, como o futebol, é necessário um tempo maior de recuperação, além de um processo intenso de reabilitação e treino pedagógico (onde o atleta “reaprende” a praticar o esporte). Não respeitar os limites do corpo e o próprio processo de recuperação, pode não só prejudicar o processo pós operatório, como ocasionar novas lesões no ligamento.
Embora longa, quando respeitada e realizada corretamente, a recuperação da cirurgia do Ligamento Cruzado Anterior costuma ser simples e aumenta consideravelmente as chances de sucesso. Com isso, em pouco tempo o paciente poderá retornar às suas atividades cotidianas e à prática esportiva.

Desde a primeira semana após a cirurgia, a fisioterapia tem um papel essencial nessa recuperação. Através dela, é possível auxiliar o paciente a retomar os seus movimentos com segurança, evoluindo os exercícios conforme o avanço na mobilidade da articulação.

As lesões no Ligamento Cruzado Anterior são muito difíceis de prever, uma vez que boa parte delas ocorre por conta de movimentos inadequados realizados pelo próprio paciente, como um posicionamento incorreto do pé, paradas repentinas, movimentos bruscos, entre outros. Contudo, é possível reduzir o risco de lesões com algumas atitudes, como:

• Fortalecimento e alongamento da musculatura da coxa e core abdominal;
• Trabalhar o equilíbrio com exercícios específicos;
• Treinamento dos movimentos e gestos esportivos.

Independentemente do caso e do tipo de lesão, o acompanhamento com um médico ortopedista é essencial. Somente com o atendimento adequado será possível identificar, tratar e se recuperar de uma lesão no Ligamento Cruzado Anterior de forma efetiva. Para quem pratica esportes, alguns testes funcionais como o teste FMS e a avaliação isocinética do joelho podem ajudar a garantir a segurança.

Está gostando do contéudo? Compartilhe!